"Na terra dos sonhos podes ser quem tu és, ninguém te leva a mal..."

.posts recentes

. O Valor das coisas

. "Põe quanto és no mínimo ...

. Caeiro e eu

. Gatos e Pessoa

.arquivos

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.favorito

. Perfumes

. "A nossa única riqueza é ...

. Caeiro e eu

. Porque...

. Amizade - o que é?

. Há coisas que nunca mudam

. Fazer o impossível

. Os direitos inalienáveis ...

. A nêspera

. Casamento

Segunda-feira, 4 de Agosto de 2008

O Valor das coisas

 

"O valor das coisas não está no tempo que duram,

Mas na intensidade com que acontecem.

Por isso, existem momentos inesquecíveis,

coisas inexplicáveis

e pessoas incomparáveis."

 

Fernando Pessoa

 

Frase e Cartoon que valem mais que quaisquer outras palavras que se pudessem acrescentar.

 

publicado por coisasquetais às 22:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 24 de Novembro de 2007

"Põe quanto és no mínimo que fazes..."

 

Fernando Pessoa mais uma vez.

Nunca fui muito fã de poesia, a prosa tem mais a ver comigo. Mas a poesia de Pessoa ultrapassa qualquer outra.

Pessoa escreve sobre tudo e sobre nada. Sobre o Mundo e sobre o eu. E conseguiu aquilo que muitos de nós desejam: ficar para a História de alguma maneira. Fernando Pessoa é simplesmente o marco da poesia portuguesa.

Por isso, deixo aqui mais um poema.

 

"Para ser grande, sê inteiro: nada

Teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa. Põe quanto és

No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda

Brilha, porque alta vive."

 

Ricardo Reis

 

Este poema exalta o eu de qualquer um. Principalmente o meu.

sinto-me:
publicado por coisasquetais às 19:06
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 20 de Novembro de 2007

Caeiro e eu

 

Alberto Caeiro, poeta e Pessoa, para quem percebe o trocadilho.

Identifico-me bastante com a sua poesia, e por isso, deixo aqui um poema que muito me diz.

 

"Se quiserem que eu tenha um misticismo, está bem, tenho-o. 

Sou místico, mas só com o corpo. 

A minha alma é simples e não pensa.

 

O meu misticismo é não querer saber. 

É viver e não pensar nisso.

 

Não sei o que é a Natureza: canto-a. 

Vivo no cimo dum outeiro 

Numa casa caiada e sozinha, 

E essa é a minha definição."

 

in "O Guardador de Rebanhos"

sinto-me:
publicado por coisasquetais às 01:57
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

Gatos e Pessoa

 

"Gato que brincas na rua

Como se fosse na cama

Invejo a sorte que é tua

Porque nem sorte se chama.

 

Bom servo das leis fatais

Que regem pedras e gentes

Que tens instintos gerais

E sentes só o que sentes.

 

És feliz porque és assim

Todo o nada que és, é teu

Eu vejo-me e estou sem mim

Conheço-me e não sou eu."

 

Fernando Pessoa

sinto-me:
publicado por coisasquetais às 10:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds